BAIXE NOSSOS APLICATIVOS

SIGA A ESTUDIO 1 FM:

BAIXE NOSSOS APLICATIVOS

FALE COM A ESTÚDIO

(16) 99372-8249

(16) 3706-3232

Gusttavo Lima vence processo contra empresa de chapéus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O cantor sertanejo Gusttavo Lima se deu bem em um processo judicial que moveu contra uma empresa vendedora de chapéus. Segundo informações exclusivas obtidas pelo Movimento Country, o cantor entrou com uma ação judicial contra a empresa Mundo do Chapéu por uso indevido de seu nome e imagem após a empresa usá-los para estampar anúncios e comercializar chapéus sem autorização.

Os anúncios veiculados nas redes sociais e site oficial da empresa ofereciam o produto “Chapéu Gusttavo Lima” e chegaram a usar fotos do cantor sertanejo com o suposto chapéu para ilustrar a venda. A equipe jurídica do marido de Andressa Suita tomou conhecimento e notificou a empresa, dando 24 horas para a retirada de todos os anúncios com nome e imagem de Gusttavo Lima do site oficial e redes sociais, o que não aconteceu.

Segundo consta no processo de número 1121755-67.2020.8.26.0100 que o Movimento Country teve acesso, os responsáveis pela empresa alegaram que iriam atender o pedido e retirar os anúncios, o mas não o fizeram no prazo estipulado. Gusttavo Lima então decidiu levar o caso para a Justiça cobrando uma indenização por danos morais, além da exclusão da imagem do cantor sertanejo vinculada aos chapéus.

Conforme consta na sentença do processo, a marca entrou com pedido de contestação alegando que “manteve o anúncio objeto da ação por período não superior a 5 meses e que removeu o nome ‘Gusttavo Lima’ no dia em que foi notificada, substituindo o nome do produto por ‘Gustavo 2.0’, entendendo ser um nome comum e que não ocasionaria lesão à marca do autor”.

No entanto, a Mundo do Chapéu foi condenada a pagar uma indenização no valor de R$ 10 mil à Gusttavo Lima e está proibida de fazer qualquer utilização de imagens e menção à marca/nome do cantor sertanejo, sob pena de multa de R$ 1 mil por dia. As partes dividiram os custos do processo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.